Sereno, serena manhã e já rompe o dia.
Retardando os graus, que fazem verões e alegria.

A tarde nasce indecisa, imprecisa tanto quanto vai.
E abre mão da luz, quando a noite cai mas não completamente.

Eis que surge a lua...

Intrusa que só ela
Sequer foi convidada
Nem por isso é menos bela, majestosa e livre.

Ser único é ser belo, sequer ser convidado.
Do lado que é sincero, isso é o que vale no fim
Nada vale tanto assim

A voz que retumba em muralhas de silêncio e mormaço
A saga da vazante intrusa, num deserto de indiferença

Antagonia, agonia deixa estar
Pra se manter salvo e são, se mire na lua ...

Seja feliz pois nada vale tanto assim
Se lembre da lua ....

Nada vale tanto assim

Falsche Video?