Um dia desses eu estava na euforia
Coração falando alto, sem demagogia
A música veio como o mar em minha boca
Com saúde e tão louca
Que eu nem pude resistir
E batuquei um pequenino estribilho
Com amor e tanto brilho
Animando o ambiente
Uô, uô, animando o ambiente
Mas a coisa ficou quente
E quase o trem saltou dos trilhos

O patrão zangou na terra do carnaval
Onde a gente passa mal se não for alegoria
Mas em que lei, em que estado em que país
Se proíbe ser feliz e ter voz pra se cantar
Lá na matriz é duro o corpo, e é tanto frio
Ordem é obediência, aqui tenha paciência
Pro progresso da ciência da nossa música popular

Eu conheço bem esse terreiro
Tem bicharada, tem bicheiro
E a galera a curtir, brega, jeca, break e rock and roll
É tão equatorial, mas o patrão se zangou
E agora que fomos ao fundo, ficou tudo por aqui
Na base de, na base de
Na base de se correr o bicho pega, se ficar o bicho come
Palavra do homem, ordem do homem, obra do homem

O patrão zangou quando viu o pessoal
Cantar junto e pedir bis com ele torcendo nariz
Ora vamos e sejamos razoáveis
Ele chegou no estrangeiro com o jogo de cintura
Do jeitinho brasileiro e o seu patrão pediu bis
Pediu bis, oi pediu bis, sacou no triz, ele pediu bis